Projetos do DR7
 Básicos
     - Caça Tesouro
     - O Universo
     - Asteróides
     - Tipos de Estrelas
     - Cor
     - Galáxias
 Avançados
 Desafios
 Para Crianças
 Jogos e Competições
 Links para Outros
O Universo
 Seu Endereço Cósmico
 Quão grande?
 Universo em Expansão
 Como sabemos?
 Distâncias
 Magnitudes
 Redshifts
 Fazendo o Diagrama
 O Diagrama de Hubble
 O Big Bang
 Com Mais Galáxias
 Desafios Científicos
 O Diagrama de Hubble

Redshifts

Se você já ficou parado ao lado de uma estrada enquanto um carro está passando, tem uma idéia do que é "redshift" (desvio para o vermelho). Quando o carro estão se movendo na sua direção, o motor parece emitir um som mais agudo do que o motor de um carro estacionado. Por outro lado, quando o carro se move distanciando-se de você, o som do motor parece mais grave do que de um carro estacionado. A razão para essa mudança é o efeito Doppler, cujo nome vem do físico austríaco Christian Doppler, quem descobriu o efeito. Quando o carro se move na sua direção, as ondas sonoras que carregam o som do motor são comprimidas. E quando o carro se afasta, essas onda sonoras são esticadas.

O mesmo efeito acontece com ondas de luz. Se um objeto se move na nossa direção, as ondas de luz que emite são comprimidas - o comprimento de onda da luz vai ser menor, fazendo com que a luz se torne mais azul. Por outro lado, se um objeto se afasta de nós, as ondas de luz são esticadas, tornando-o mais vermelho. O grau de "redshift" (deslocamento para o vermelho) ou "blueshift" (deslocamento para o azul) se relaciona diretamente com a velocidade do objeto na direção em que se está olhando. A animação abaixo mostra esquematicamente como o redshift e o blueshift funcionam, usando um carro como exemplo. As velocidades dos carros são muito menores para percebermos qualquer redshift ou blueshift. Mas as galáxias estão se movendo muito mais rápido em relação a nós e, portanto, o deslocamento do comprimento de onda é perceptível.

Clique na animação para rodá-la

Redshifts e Espectros

Os astrônomos podem medir exatamente qual o redshift ou blueshift de uma galáxia observando o espectro dela. Um espectro mede a quantidade de luz que um objeto emite em diferentes comprimentos de onda.

Os espectros de estrelas e galáxias quase sempre exibem uma série de picos e vales chamados "linhas espectrais". Estas linhas sempre aparecem nos mesmos comprimentos de onda, fazendo com que sejam bons indicadores de redshift ou blueshift. Se os astrônomos, observando uma galáxia, virem que uma linha espectral está em um comprimento de onda mais longo do que estaria na Terra, eles vão saber que a galáxia foi deslocada para o vermelho (apresenta redshift) e está se se afastando de nós. Se eles virem a mesma linha em um comprimento de onda menor, vão saber que a galáxia foi deslocada para o azul (apresenta blueshift) e está se aproximando de nós.

O Sloan Digital Sky Survey mediu espectros de mais de 250 mil galáxias. Cada espectro é colocado em um programa de computador que determina automaticamente o redshift. O programa fornece uma figura como a mostrada abaixo, com linhas espectrais identificadas. O número "z", na parte inferior do espectro (antes do +/-), exibe o redshift. Valores positivos de z significam que a galáxia tem um redshift; valores negativos de z significam que tem um blueshift. (NOTA: Este não é o mesmo z de magnitude z que você viu na Atividade 4.)

Clique na imagem para vê-la em tamanho maior

Dê uma olhada no espectro acima, mas não se preocupe caso não entenda todos os detalhes. No próximo exercício, você vai ver espectros das seis galáxias que você examinou na Atividade 4.

Atividade 5: Encontre os redshifts das galáxias que você examinou na Atividade 4. Clique em um dos links abaixo para abrir o Explorador de Objeto

Na parte inferior da tela principal você vai ver a miniatura do espectro. Este é o espectro da galáxia; clique nele para vê-lo em tamanho maior. Clique em "Resumo" no lado esquerdo da tela para voltar à tela principal. Logo acima do espectro, você deve ver um campo chamado "z". Este z NÃO é aquele que você viu na Atividade 4; este z representa o redshift. Escreva o redshift (z) próximo à magnitude g da Atividade 4.

ID do Objeto

RA

Dec

587728949050015850

155.57386

0.01030

587722982271090881

166.67333

-0.80063

587725590919446695

261.26203

63.04937

588015510340370541

353.68918

1.03629

587731513690095801

42.93901

0.80887

582104533171306734

53.62388

-1.12447

Abrir o Explorador de Objeto

Agora que você mediu tanto a distância quanto o redshift para estas seis galáxias, está pronto para fazer um gráfico como o que você fez para a bexiga - um diagrama de Hubble.